Archive for maio \29\UTC 2008

Arqueólogos encontram QG de exército da antiguidade no Sinai

maio 29, 2008

Arqueólogos encontram QG de exército da antiguidade no Sinai

Soldados guardaram fronteira egípcia por 1.500 anos.
Fortaleza tem torres de quatro metros de altura.
Arqueólogos egípcios descobriram o que afirmam ser o quartel-general do exército faraônico da antiguidade que guardou a fronteira nordeste do Egito por mais de 1.500 anos, disse o governo egípcio na quarta-feira.
Reuters
Reuters
Objeto com inscrições em egípcio antigo foi encontrado na fortaleza (Foto: Reuters)

A fortaleza e a cidade adjacente, que os arqueólogos identificaram com o nome antigo de Tharu, ficam na península do Sinai, a cerca de três quilômetros a nordeste da cidade moderna de Qantara, disse o arqueólogo egípcio Mohamed Abdel Maksoud.

O Conselho Supremo de Antiguidades do governo disse em comunicado à imprensa que Tharu ficava no começo da estrada militar que ligava o vale do Nilo ao Levante, áreas que passaram boa parte do período sob controle egípcio.

Os arqueólogos, liderados por Abdel Maksoud, vinham trabalhando desde 1986 nos fortes que ladeavam a estrada, mas foram inscrições encontradas este ano que certificaram a identificação, disse Maksoud.

As inscrições fazem menção a três faraós — Tutmosis 2, que reinou a partir de 1512 a.C e construiu as instalações militares ao longo da rota, Seti 1 e Ramsés 2, que, juntos, governaram o Egito de 1318 a 1237 a.C.
Fortaleza

O sítio contém remanescentes de uma fortaleza feita de tijolos de barro, datando da época de Ramsés 2 e que mede 500 por 250 metros, com torres de quatro metros de altura, segundo o Conselho.

Ainda segundo a organização, “estudos iniciais feitos no sítio comprovam que esse forte foi o quartel-general do exército egípcio dos tempos do Novo Reinado até o período ptolemaico.” O Novo Reinado começou por volta de 1570 a.C., e o período ptolemaico terminou com a morte de Cleópatra, no século 1 a.c.

“As características arqueológicas desse forte confirmam as inscrições em templos da antiguidade egípcia mostrando o formato da cidade de Tharu, que ficava no começo da estrada militar Horus”, disse o comunicado do Conselho.

O governo informou ainda que o sítio contém o primeiro templo do Novo Reinado já encontrado no norte do Sinai, silos em que o exército da antiguidade egípcia armazenava grãos e armas, e também fornos, escudos e tigelas de cerâmica.

Fonte: G1/ Noticias Cristas

maio 28, 2008

TAM Viagens ofereceu pacote para Parada Gay
21/05/2008 15:00

A unidade de turismo da TAM Linhas Aéreas, TAM Viagens, ofereceu opção de pacote especial para a 12ª edição da Parada do Orgulho GLBT, evento que foi realizado na Avenida Paulista, em São Paulo, no domingo (25).

Com duas noites de hospedagem no Pestana São Paulo Hotel, o pacote individual incluiu café da manhã, transporte aéreo de ida e volta, além de um ingresso para a unidade paulistana da disco The Week. As saídas do Rio de Janeiro, aconteceram no dia 23, e custam R$ 625,00 à vista, ou parcelado em até cinco vezes sem juros.

A programação fez parte da modalidade de pacotes turísticos criada pela TAM Viagens especificamente para a comunidade GLBT. Gerenciada por Clóvis Casemiro, embaixador no Brasil da International Gay & Lesbian Travel Association (IGLTA), a área segue agenda de eventos que inclui paradas, feiras, shows e peças de teatro em todo o Brasil e no exterior. Informações: tel. (11) 3068-7939, 0800-555-200 e http://www.tamviagens.com.br .

Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si;
Romanos 1:25

os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que declara dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam.(Rm 1:32)

China remove 80 mil ameaçados por lago formado com tremor

maio 27, 2008

China remove 80 mil ameaçados por lago formado com tremor
Rio bloqueado em Beichuan formou represa que pode romper e causar enchentes.

Autoridades chinesas devem remover nesta terça-feira 80 mil pessoas que moram próximo à montanha de Tangjiashan, depois que deslizamentos de terra provocados pelo terremoto, há duas semanas, formaram um lago que ameaça romper.

A terra acumulada bloqueou o curso de um rio provocando a formação da represa que, se transbordar, poderá causar enchentes e enxurradas.

O governo estima que o lago, que fica próximo do vilarejo de Beichuan, já contém mais de 130 milhões de metros cúbicos de água represados.

Na segunda-feira, mais de 70 mil pessoas já haviam sido retiradas da região.

Vítimas

Soldados chineses trabalham sem parar a fim de drenar o lago.O exército está usando tratores, escavadeiras e dinamite para abrir um canal de escoamento.

Oficiais do governo afirmam que o risco de uma enxurrada é real, pois a água está represada há mais de duas semanas.

A barragem que se formou ao redor da represa é feita de lama e pedras e por isso é muito frágil, segundo informou a agência de notícias estatal Xinhua.

O governo disse que não quer correr riscos e está colocando em prática os planos de contingência para evitar maiores problemas e mortes.

Nesta terça-feira, o número oficial de mortos no terremoto chegou a 67.183 e os desaparecidos totalizavam 20.790.

Lagos

Os deslizamentos de terra provocados pelo terremoto e pelos tremores secundários obstruíram diversos rios criando lagos que ameaçam se romper.

Somente em Sichuan, o governo está monitorando mais de 34 locais onde grandes quantidades de água estão concentradas na esperança de afastar o perigo de novas tragédias.

Alguns vilarejos, no entanto, já foram inundados, como revelaram fotos de satélites.

Mais de cinco milhões de sobreviventes permanecem desabrigados duas semanas após o terremoto de 8 graus e a área ainda sofre significantes abalos secundários.

No domingo, um novo tremor matou seis pessoas e destruiu outras 300 mil construções.

A previsão do tempo para os próximos dias é de chuva, o que aumenta ainda mais o risco de os lagos transbordarem e as barragens se romperem.

Estimativas oficiais apontam que será necessário pelo menos três anos até que a vida dos sobreviventes moradores da província de Sichuan retorne ao normal.

por Marina Wentzel – 27/05/2008 06:52
Fonte: BBC Brasil

Deixados para Trás agora em Game

maio 27, 2008

Deixados para Trás agora em Game

O grande sucesso da série best-seller “Left Behind” (deixados para trás), que deu origem aos três títulos de filmes: “The Movie,” “Tribulation Force” e “World at War” agora conta também com sua deliciosa versão game para computadores.

O game “Left Behind,” lançado no mercado pela LB Games (“eternal forces”), foi um dos presentes de natal mais procurados entre os consumidores cristãos norte-americanos no final de 2007 e sem dúvida logo estará entre a prateleiras das melhores lojas espalhadas pelo mundo. Veja algumas cenas do game:

Algumas cenas do Game

No game estão presentes os célebres personagens da série como: Rayford, Chloe, Buck e Bruce e é claro, não poderia ficar de fora o grande vilão: Nicolae Carpathia (‘Anti-Cristo’). Enviamos uma comunicação aos fabricantes perguntando quando poderemos contar com uma versão legendada em português, mas até o momento não obtivemos resposta.
Controvérsias

O game também vem causando uma certa polêmica quanto seu conteúdo, pois na mídia norte-america no ano passado, muitos alertas foram emitidos contendo opiniões divergentes aos anúncios publicados pela “Eternal Forces”como por exemplo: Violência Gratuita; intenção do povo Cristão em ofender a classe homossexual, Muçulmana, e devotos de outras crenças; e também por cristãos que discordam do Dr. LaHaye em aspectos teológicos.

Explica Jerry Jenkins (escritor da série best-seller) que isto é ridículo, tais declarações devem ser provenientes de pessoas que ainda não viram o game, nem leram os livros, pois como poderia atingir as pessoas as quais tenho por dever amar e essa é a real mensagem que levamos com as publicações, filmes e o próprio game.

No game, diz ainda, realmente existem cenas de violência no modo “self-defense”(defenda-se), mas não gratuita, pois os inimigos são as forças do ‘Anti-Cristo’, um exército formado pelos que possuem a marca da besta. Além disso, este game foi aprovado pelo “Focus on the Family” que tem muito zelo ao opinar ou disponibilizar produtos para as famílias cristãs.

M Gardezani

Veja algumas cenas desse video

Arqueólogos alemães encontram palácio da rainha de Sabá na Etiópia

maio 23, 2008

Arqueólogos alemães encontram palácio da rainha de Sabá na Etiópia
Local pode ter abrigado a Arca da Aliança e as tábuas com os Dez Mandamentos.
Localização era um dos maiores mistérios da Antigüidade.

Arqueólogos alemães encontraram os restos do palácio da lendária rainha de Sabá na localidade de Axum, na Etiópia, e revelaram assim um dos maiores mistérios da Antigüidade, segundo anunciou a Universidade de Hamburgo.

“Um grupo de cientistas sob direção do professor Helmut Ziegert encontrou durante uma pesquisa de campo realizada nesta primavera européia o palácio da rainha de Sabá, datado do século X antes de nossa era, em Axum-Dungur”, destaca o comunicado da universidade.

A nota diz que “nesse palácio pode ter ficado durante um tempo a Arca da Aliança”, onde, segundo fontes históricas e religiosas, foram guardadas as tábuas com os Dez Mandamentos, que Moisés recebeu de Deus no Monte Sinai.

Os restos da casa da rainha de Sabá foram achados sob o palácio de um rei cristão.

“As investigações revelaram que o primeiro palácio da rainha de Sabá foi transferido pouco após sua construção, e levantado de novo orientado para a estrela Sirius”, dizem os cientistas.

Os arqueólogos acreditam que Menelik I, rei da Etiópia e filho da rainha de Sabá e do rei Salomão, foi quem mandou construir o palácio em seu lugar definitivo.

Os arqueólogos alemães disseram que havia um altar no palácio, onde provavelmente ficou a Arca da Aliança, que, segundo a tradição, era um cofre de madeira de acácia recoberto de ouro.

As várias oferendas que os cientistas alemães encontraram no lugar onde provavelmente ficava o altar foram interpretadas pelos pesquisadores como um claro sinal de que a relevância especial do lugar foi transmitida ao longo dos séculos.

A equipe do professor Ziegert estuda desde 1999, em Axum, a história do início do reino da Etiópia e da Igreja Ortodoxa Etíope.

“Os resultados atuais indicam que, com a Arca da Aliança e o judaísmo, chegou à Etiópia o culto a Sothis, que foi mantido até o século VI de nossa era”, afirmam os arqueólogos.

O culto, relacionado à deusa egípcia Sopdet e à estrela Sirius, trazia a mensagem de que “todos os edifícios de culto fossem orientados para o nascimento da constelação”, explica a nota.

O comunicado também diz que “os restos achados de sacrifícios de vacas também são uma característica” do culto a Sirius praticado pelos descendentes da rainha de Sabá.

Vulcão Chaitén entra em erupção no Chile

maio 23, 2008


Vulcão esvazia cidade por três meses no Chile

SANTIAGO (Reuters) – A cidade chilena de Chaitén, até recentemente o lar de 4.500 pessoas, ficará interditada por três meses até que não esteja mais ameaçada por uma nuvem de cinzas quentes oriundas de um vulcão em erupção, disse o governo na quarta-feira.

O vulcão Chaitén, a dez quilômetros da cidade, entrou em erupção em 2 de maio pela primeira vez em milhares de anos, cuspindo cinzas gaz e lava para o alto.

A nuvem de detritos, mantida no alto pela pressão de constantes erupções, pode se dissipar e cair sobre a pequena cidade fantasma.

“A presidente (Michele Bachelet) estabeleceu um período de três meses sob o qual á área de grau zero será mantida isolada”, disse o ministro da Defesa, José Goni, a jornalistas.

A coluna de cinzas sobre o Chaitén chegou a 32 quilômetros de altura no início da erupção, mas já baixou para 7.000 metros.

Milhares de pessoas foram retiradas de suas casas num raio de 48 quilômetros da cratera, a 1.220 quilômetros ao sul da capital Santiago.

Imagens de satélite mostram uma faixa branca cortando o céu do sul do continente. Uma grande parte das cinzas foi parar na vizinha Argentina, onde algumas cidades também foram encobertas pelos detritos. A cadeia chilena de cerca de 2.000 vulcões, 500 dos quais potencialmente ativos, é a segunda maior do mundo, atrás apenas da Indonésia.

Ciclone Nargis mata mais de 70 mil em Myanmar

maio 23, 2008

O ciclone Nargis (designação do JTWC: 01B; também conhecido como a tempestade ciclônica muito intensa Nargis) foi um ciclone tropical que atingiu a costa sul de Mianmar como um intenso ciclone, equivalente a um furacão de categoria 4 na escala de furacões de Saffir-Simpson, no começo de Maio de 2008. Nargis foi o primeiro ciclone a atingir Mianmar desde o ciclone Mala, em 2006. Sendo o primeiro da temporada de ciclones no Oceano Índico norte de 2008, o Nargis formou-se a partir de uma perturbação tropical sobre o Golfo de Bengala em 27 de Abril, a sudeste da Índia. Inicialmente, o sistema seguia para noroeste, mas começou a seguir para nordeste sob a influência de uma alta subtropical a seu sudeste e atingiu Mianmar, na região do delta do rio Irauádi em 2 de Maio.

Mesmo assim o ciclone persistiu sobre terra por 30 horas e seu centro passou diretamente sobre Yangon, a maior cidade de Mianmar, no começo da madrugada de 3 de Maio. O ciclone danificou severamente todo o sistema de comunicação de Mianmar, o que atrasou os relatos oficiais sobre danos e número de mortes. Relatos oficiais do governo de Mianmar apontam que 77.738 pessoas morreram como conseqüência da passagem do ciclone e que 55.917 ainda estavam desaparecidas.[1] O número de desambrigados passa de um milhão.[2][3]. Poucos dias depois do ciclone, diplomatas em Yangon apontaram para cerca de 100.000 mortes[4].

Myanmar abre portas a ajuda internacional através dos países vizinhos
Imagem de um sobrevivente do ciclone Nargis que fustigou Myanmar, antiga Birmânia

Myanmar HOJE

Mais de duas semanas após o ciclone ter fustigado o país, a Junta Militar autorizou que os países vizinhos superintendam a distribuição de ajuda estrangeira para os sobreviventes do Nargis. Permitiram ainda a visita do Secretário-Geral das Nações Unidas.

É um sinal de alguma abertura, que chega tarde, mas que é uma esperança para os milhares de pessoas que precisam desesperadamente de ajuda.

O último balanço dá conta da morte de mais de 78 mil pessoas e cerca de 56 mil desaparecidos.

Os que sobreviveram ao ciclone estão agora confrontados com doenças, malnutrição e vulneráveis à chuva que continua a cair. A Federação Internacional da Cruz Vermelha (FICV) diz que a água limpa que cai do céu pode ajudar aqueles que forem capazes de a apanhar. “No entanto, a chuva, para muitos, simplesmente piora a miséria após várias noites em situação muito precária”, adiantam.

Ásia e ONU organizam ajuda humanitária

Em Singapura, uma reunião de emergência com os ministros dos Negócios Estrangeiros dos países da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) concluiu a constituição de uma “task force” para redistribuir a ajuda humanitária que chega um pouco de todo o mundo.

Foi ainda anunciado que Myanmar aceitou a entrada de equipas médicas de todos os países da ASEAN. Esta associação regional vai ainda, em conjunto com as Nações Unidas, organizar uma conferência internacional para arrecadar dinheiro para ajudar o país. As perdas resultantes do ciclone, de acordo com a ONU, ultrapassam os 10 mil milhões de dólares.

A conferência irá ter lugar no domingo, em Yangon, a maior cidade de Myanmar, e contará com a presença do Secretário-Geral das Nações Unidas. Ban Ki-moon chega ao país na quinta-feira para avaliar a dimensão dos estragos provocados pelo Nargis.

Terremoto na China deixa mais de 10 mil mortos

maio 14, 2008

Terremoto na China deixa mais de 10 mil mortos

PEQUIM, 12 Mai 2008 (AFP) – A China contava seus mortos nesta terça-feira, após o terremoto de 7,8 graus Richter que atingiu o sudoeste do país, e o número de vítimas fatais já passa dos 10 mil, segundo a imprensa oficial.

O ministério de Assuntos Civis informou na manhã desta terça que o terremoto matou 9.219 pessoas, e que a maior parte dos óbitos – 8.993 – ocorreu na província Sichuan.

Após o boletim oficial, a agência Nova China revelou o desabamento de uma fábrica, onde “milhares” de trabalhadores morreram, a queda de uma escola, que deixou cerca de mil alunos e professores mortos ou desaparecidos, e que há 1.500 mortos e 10 mil soterrados em apenas uma cidade.

Posteriormente, a TV estatal informou que 500 pessoas morreram e 2 mil estão soterradas na cidade de Shifang, situada a cerca de 50 km a noroeste de Wenchuan, epicentro do terremoto.

Segundo a Nova China, há pelo menos 10 mil pessoas sob os escombros e 1.500 mortos em Mianzhu, uma das cidades mais atingidas pela catástrofe, a cerca de 30 km a sudeste de Weichuan.

O desabamento da fábrica ocorreu na cidade de Hanwang, na região de Mianzhu, e a Nova China deu poucos detalhes sobre os “milhares de trabalhadores mortos”, que construiam turbinas a vapor.

Hanwang, cidade de 60 mil habitantes, fica a cerca de 30 km de Wenchuan.

Outra agência, a Notícias da China, informou que há 500 pessoas desaparecidas e 60 mortes confirmadas; e que no momento do terremoto trabalhavam entre 5 mil e 6 mil pessoas na fábrica.

No distrito de Beichuan, a nordeste de Weichuan, o desabamento de um colégio deixou cerca de mil alunos e professores mortos ou desaparecidos, segundo a Nova China.

“O número de mortos ou desaparecidos é calculado em mais de mil” na escola, revelou a agência oficial sobre o incidente em Beichuan, onde mais de 80% das construções desabaram, segundo o governo local.

Pequim enviou milhares de soldados a Beichuan, como parte da operação militar de emergência que emprega cerca de 50 mil homens.

Pelo menos 17 mil soldados já estão na zona mais atingida e outros 34 mil seguem para a região.

Em Dujiangyan, 50 km ao sul de Weichuan, os socorristas continuavam retirando corpos dos escombros de uma escola. Os responsáveis do colégio de Xiang’e estimaram que menos de 100 das 420 crianças que se encontravam no prédio sobreviveram ao desabamento.

Em Shifang, cidade entre Chengdu, capital de Sichuan, e Wenchuan, 900 alunos secundaristas ficaram presos com a queda de parte do colégio no qual estudavam.

Um deslizamento de terra provocado pelo terremoto matou 37 turistas estrangeiros em um ônibus na província de Sichuan, enquanto outros 15 turistas, todos britânicos, estão desaparecidos na mesma região, segundo a imprensa oficial.

O ônibus foi levado pela avalanche de terra no distrito de Maoxian, na região autônoma tibetana de Aba, revelou a agência Nova China, que cita um porta-voz do serviço regional de segurança.

O porta-voz informou que os 15 britânicos estão entre os 2 mil turistas bloqueados em Sichuan, com os quais não foi possível fazer contato.

Segundo o funcionário, os turistas britânicos estão provavelmente em Wolong, local do Centro de Pesquisa e Proteção dos Pandas Gigantes.

O terremoto, que ontem foi chamado de “desastre maior” pelo primeiro-ministro Wen Jiabao, atingiu principalmente as zonas densamente povoadas de Sichuan (sudoeste).

“A situação é mais grave do que havíamos calculado anteriormente, e precisamos de mais gente aqui para ajudar”, declarou Jiabao, à noite, falando do quartel-general de socorro na cidade de Dujiangyan, a 100 km do epicentro.

Segundo a agência estatal, esse foi o pior sismo desde o que castigou Tangshan (nordeste), em 1976, e deixou mais de 240.000 mortos, de acordo com números oficiais, ou mais de 700.000 mortos, segundo analistas internacionais.

Faculdade leva umbanda para sala de aula

maio 14, 2008

Faculdade leva umbanda para sala de aula
Da Redação
Em São Paulo

De segunda a sexta-feira, por volta das 19h30, eles atravessam o pátio arborizado em direção ao templo. Bolsas, livros e sapatos enfileirados esperam do lado de fora, enquanto reverenciam o altar com flores, velas e oferendas aos guias espirituais. O ritual diário, para equilibrar energias positivas e negativas, antecede as aulas na FTU (Faculdade de Teologia Umbandista), na zona sul de São Paulo.

Autorizada em 2003 pelo então ministro da Educação, Cristovam Buarque, a instituição é a primeira no país que leva a umbanda, religião afro-brasileira para os bancos universitários. E são destes bancos que, no final do ano passado, saíram os primeiros 35 teólogos umbandistas diplomados do Brasil.

No início da aula, alunos fazem saudações em frente ao altar dos templos da faculdade
VEJA MAIS FOTOS
QUIZ: UMBANDA
Os canudos desta turma, que iniciou a graduação em 2004, serão entregues em novembro deste ano. A princípio, a colação de grau poderia ser já no primeiro semestre. A prorrogação da festa em longo prazo tem motivo: coincidir com a comemoração do centenário da umbanda em terras brasileiras, marcada para o dia 15 daquele mês. Novembro marca ainda outra efeméride importante, o Dia da Consciência Negra.

Além destes já bacharéis em teologia umbandista, outros 150 estudantes também querem se especializar na umbanda, doutrina que mescla crenças e rituais africanos, indígenas e europeus. Eles freqüentam as aulas — ministradas somente no período noturno — de filosofia, inglês, metodologia científica, ciências políticas, antropologia, entre outras.

“São disciplinas convencionais de um curso superior, com a diferença de terem um viés espiritual”, explica a professora Maria Elise G. B. M. Rivas, que também atende pelo nome iniciático de sacerdotisa Aramaracyê.

No último ano da graduação — são quatro anos, no total –, a grade curricular se afunila em matérias mais específicas, como hermenêutica (interpretação de livros sagrados), botânica umbandista, medicina espiritual e administração templária. Além disso, os alunos têm duas aulas práticas quinzenais que envolvem ritos e liturgia.

Preconceito no terreiro
Apesar dos ritos, que são abertos ao público e chegam a reunir 400 pessoas por sessão, a faculdade não ensina os estudantes a incorporar espíritos. “Isso não se aprende, é destino cármico. Nosso objetivo não é formar pais-de-santo, mas pessoas capazes de promover a religião da forma correta e acabar com o preconceito cultural que existe em torno da umbanda”, diz Aramaracyê.

ENTENDA AS DIFERENÇAS
Umbanda: religião brasileira de miscigenação, estruturada em três princípios – fraternidade, caridade e respeito ao próximo. Mescla práticas do candomblé, do catolicismo e do espiritismo.
Candomblé: religião importada da África e estabelecida no Brasil no início do século 19. Faz culto dos orixás e tem como base a alma da natureza.
Macumba: antigo instrumento musical de percussão. Popularmente, o termo é usado pejorativamente para designar genericamente os cultos afro-brasileiros.

Segundo ela, a legitimidade da faculdade é um grande passo para colocar o credo afro-brasileiro no centro das atenções. “Falta conhecimento sobre o que é a umbanda, porque a religião passou por um processo de demonização. É tida como uma cultura de periferia e é até mesmo estigmatizada como idolatria pagã, confundida com coisas do mal. É essa imagem negativa que queremos quebrar”.

A fé na educação e o empenho em divulgar a crença são evidentes: todos os 18 professores da instituição, que já têm uma graduação em algum curso convencional (há desde pedagogos a médicos e advogados), são voluntários e não recebem salário para estar em sala de aula.

Além disso, 60% dos alunos têm uma bolsa que ajuda a pagar a mensalidade de R$ 350. O sistema que seleciona bolsistas é interno, feito através de uma análise pessoal da renda familiar. “Ainda não podemos contar com programas do governo, como o ProUni (Programa Universidade Para Todos), porque a FTU ainda não formou efetivamente sua primeira turma”, explica Aramaracyê.

Uma das ações incentivadas pela faculdade é a adoção de aluno. “Uma pessoa voluntária, de qualquer lugar ou credo, escolhe um aluno para pagar a mensalidade e proporcionar à ele a continuação dos estudos. Por enquanto, só temos um estudante nessa condição, mas queremos ampliar essa prática”, diz a professora.

A meta dos dirigentes da FTU é tornar público o ensino da umbanda. “Estamos buscando isso, mas é um plano a longo prazo, que precisa ser processado junto ao MEC (Ministério da Educação). Ainda vai levar um tempo porque estamos só começando”.

Extraido do site UOL
http://educacao.uol.com.br/ultnot/2008/05/13/ult105u6358.jhtm